CONSELHO PORTUGUÊS PARA OS REFUGIADOS
   
Deslocação forçada atinge níveis sem precedentes
GENEBRA/LISBOA, 20 de junho de 2017 (ACNUR/CPR) - A nova edição do relatório “Tendências Globais”, uma análise da "situação dos refugiados no mundo" feita pelo ACNUR e publicada anualmente por ocasião do Dia Mundial do Refugiado (DMR), revela que no final de 2016 havia cerca de 65,6 milhões de pessoas forçadas a deixar as suas casas por diferentes tipos de conflitos, violência e perseguição - mais 300.000 em relação ao ano anterior. Esse total representa um significativo número de pessoas que precisam de proteção no mundo inteiro.
 Mais...       
Prémio BPI Solidário
LISBOA, 25 de novembro de 2016 (CPR) - O Conselho Português para os Refugiados (CPR) foi uma das 17 instituições premiadas na 2ª edição do Prémio BPI Solidário, para apoio a projetos que promovam a melhoria das condições de vida de pessoas que se encontrem em situação de pobreza e exclusão social. No total foram recebidas 299 candidaturas, um número que reflecte a relevância deste tema.
 
Prémio
Direitos
Humanos
2016
da A.R.
LISBOA, 24 de dezembro de 2016 (CPR) - A.Guterres recebeu o prémio decidido por unanimidade pelas seis bancadas parlamentarese e, na mesma cerimónia, doou o seu valor material (5.000 euros) ao CPR.
   
Visita
do
Presidente
da
República
Lisboa, 20 de junho de 2016 (CPR) - O CPR organizou diversos eventos para festejar o Dia do Refugiado. O Presidente da República quis associar-se às comemorações, visitando o Centro de Acolhimento da Bobadela (CAR).
   
Martin
Schulz
visita
o CAR
LISBOA, 3 de junho de 2016 (CPR) - O Presidente do Par­lamento Europeu, a­com­panhado da Mi­nistra da Admi­nis­tração Interna, Cons­tan­ça Urbano de Sousa, e do Ministro-adjunto Eduardo Cabrita visitou o CAR.

O que é o CPR?

O Conselho Português para os Refugiados (CPR) é uma Organização não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD) sem fins lucrativos, independente e pluralista, inspirada numa cultura humanista de tolerância e respeito pela dignidade dos outros povos. O seu objectivo principal é promover uma política de asilo mais huma­na e liberal, a nível nacional e interna­cional. É o «parceiro operacional» do ACNUR para Portugal. Em 12 de Dezembro de 2000, o CPR foi distinguido com o "Prémio Direitos Huma­nos" da Assembleia da República.

O que é um «REFUGIADO»?

De acordo com a Convenção de Genebra de 1951, relativa ao Estatuto de Refugiado, um refugiado é uma pessoa que "receando com razão ser perseguida em virtude da sua raça, religião, nacionalidade, filiação em certo grupo social ou das suas opiniões políticas, se encontre fora do país de que tem a nacionalidade e não possa ou, em virtude daquele receio, não queira pedir a pro­tec­ção daquele país; ou que, se não tiver nacionalidade e estiver fora do país no qual tinha a sua residência habitual, após aqueles acontecimentos não possa ou, em virtude do dito receio, a ele não queira voltar."

O que é o «sistema de proteção internacional»?

A maioria das pessoas pode confiar nas autoridades do seu país para garantir e proteger os seus direitos humanos básicos e a sua segurança física. Mas, no caso dos refugiados, o país de origem demonstrou não ser capaz ou não querer proteger aqueles direitos. O sistema de proteção internacional, de que a Convenção de Genebra de 1951 é o pilar principal, procura assegurar que os refugiados beneficiem de proteção num país de acolhimento.

O que é o ACNUR?

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) é um organismo internacional humanitário e estritamente apolítico que tem por missão proteger e ajudar os refugiados em todo o mundo. O seu estatuto atribui-lhe duas funções principais: assegurar a “proteção interna­cional” dos refugiados e procurar “soluções permanentes e duradouras” para os seus problemas. O ACNUR foi, até à data, distinguido com dois Prémios Nobel.


CPR: UM ABRIGO PARA OS REFUGIADOS QUASE HÁ UM QUARTO DE SÉCULO...

De acordo com as últimas estatísticas, o número de migrantes forçados em todo o mundo ultrapassa os 65 milhões e não pára de aumentar. O número de pessoas que buscam protecão no nosso país é de cerca de 870 por ano ou 87 pessoas por cada milhão de habitantes, um número bastante inferior à média europeia (2600 pedidos por milhão de habitantes na UE-28, em 2015). Há um quarto de século que o CPR, sempre em colaboração com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), procura minimizar as consequências das deslocações forçadas, em particular das pessoas acolhidas em Portugal.