“Refúgio e Teatro: dormem mil gestos nos meus dedos”
Em 2004, no âmbito do ensino-aprendizagem da língua portuguesa, surgiu um grupo de teatro, denominado “RefugiActo”, integrando ao longo destes anos elementos de diferentes origens (Afeganistão, Albânia, Bielorrússia, Caxemira, Colômbia, Costa de Marfim, Etiópia, Gana, Geórgia, Guiné-Bissau, Guiné-Conacri, Irão, Iraque, Kosovo, Mianmar, Nigéria, Palestina, Portugal, Rússia e Sri Lanca).
O RefugiActo procura criar pontes com a sociedade portuguesa e a problemática dos refugiados, partilhando emoções, saberes e experiências. Nesse sentido, tem feito apresentações e gerado debates e reflexões em diversos eventos festivos, mostras, espetáculos e ações de sensibilização pública em diferentes pontos do país.
A experiência cimentada na relação aprendizagem da língua-teatro-integração esteve na base da candidatura ao Programa PARTIS (Práticas Artísticas para Inclusão Social), da Fundação Calouste Gulbenkian, tendo sido aprovado o projeto “Refúgio e Teatro: dormem mil gestos nos meus dedos” que teve início em janeiro de 2014 e terminará em dezembro de 2016.
Este projeto tem como objetivo promover a expressão dramática como estratégia facilitadora da aprendizagem da língua e da integração dos requerentes de asilo e refugiados e, ao mesmo tempo, proporcionar acompanhamento artístico profissional ao RefugiActo, cada vez mais empenhado em adquirir conhecimentos artísticos e técnicos que reforcem e potenciem a sua prática teatral.

Conselho Português para os Refugiados on Saturday, 5 December 2015
Projeto PARTIS - Refúgio e Teatro (FC Gulbenkian, dezembro 2015)
Vídeo produzido pelo Serviço de Comunicação da Fundação Calouste Gulbenkian sobre as duas vertentes do projeto: as sessões de expressão dramática, que se realizam semanalmente no CAR, e um ensaio do grupo de teatro RefugiActo.

Newsletter FC Gulbenkian - dezembro 2015
Com o título "Refugiados em Palco", a newsletter dedica 4 páginas ao projeto ilustradas com magnificas fotografias de Márcia Lessa.

 Extrato da newsletter         Newsletter completa


RefugiActo: "A porta da integração para viver bem em Portugal é a língua" (SIC, novembro de 2015)
Uma reportagem da SIC sobre o RefugiActo e o projeto PARTIS. Os repórteres dão ênfase à importância da aprendizagem da língua e do papel do teatro no processo de integração.

 

 

 

 

 

DIVERSOS PROJECTOS DO CPR SÃO FINANCIADOS PELO FUNDO ASILO, MIGRAÇÃO E INTEGRAÇÃO (FAMI)

 

De acordo com as últimas estatísticas, o número de migrantes forçados em todo o mundo ultrapassa os 65 milhões e não pára de aumentar. O número de pessoas que buscam protecão no nosso país é de cerca de 870 por ano ou 87 pessoas por cada milhão de habitantes, um número bastante inferior à média europeia (2600 pedidos por milhão de habitantes na UE-28, em 2015). Há mais de um quarto de século que o CPR, sempre em colaboração com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), procura minimizar as consequências das deslocações forçadas, em particular das pessoas acolhidas em Portugal.