Inv(f)erno no Egeu

LISBOA, 29 de outubro (CPR) - Com o agravamento das condições climatéricas, ontem, 4a.feira, foram batidos records de naufrágios no Mar Egeu. Em operações que se prolongaram pela noite dentro, fizeram-se cerca de 250 resgates, havendo ainda muitos desaparecidos e cerca de 15 mortes confirmadas, onde se incluem 10 crianças. Há fotografias e vídeos disponíveis mas preferimos ilustrar esta página com a coroa de flores dos pescadores de Lampedusa, infelizmente já habitual nas páginas do nosso site.
Os naufrágios aconteceram na estreita faixa de mar (10 kms) que separa a costa turca da Ilha de Lesbos, a principal porta de entrada refugiados na UE. Até quando, em pleno século XXI, neste estágio de evolução da humanidade, com todo o desenvolvimento cultural, científico e tecnológico alcançado, permitimos que estas tragédias continuem?

 

 

 

DIVERSOS PROJECTOS DO CPR SÃO FINANCIADOS PELO FUNDO ASILO, MIGRAÇÃO E INTEGRAÇÃO (FAMI)

 

De acordo com as últimas estatísticas, o número de migrantes forçados em todo o mundo ultrapassa os 65 milhões e não pára de aumentar. O número de pessoas que buscam protecão no nosso país é de cerca de 870 por ano ou 87 pessoas por cada milhão de habitantes, um número bastante inferior à média europeia (2600 pedidos por milhão de habitantes na UE-28, em 2015). Há mais de um quarto de século que o CPR, sempre em colaboração com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), procura minimizar as consequências das deslocações forçadas, em particular das pessoas acolhidas em Portugal.