Passeio à Nazaré e Coimbra

LISBOA, 6 de novembro de 2018 (CPR) - No passado dia 29 de outubro realizou-se mais uma atividade sociocultural no âmbito das aulas de “Português Língua Estrangeira (PLE)” com um passeio à Nazaré e Coimbra.

Procurou-se desenhar um programa que minimizasse os encargos para a organização, dado que esta atividade não estava prevista nos financiamentos referentes ao acolhimento. Assim e após confirmação da visita guiada gratuita “Coimbra Património Mundial”, dirigimo-nos à Câmara de Loures que, mais uma vez viabilizou este tipo de iniciativas, cedendo o transporte.

Após a inscrição dos alunos interessados das turmas M, VFN, VFAlfa, VFG, procedeu-se à preparação nas aulas, apresentando imagens sugestivas, facultando explicações sobre os locais a visitar de modo a facilitar a compreensão no local ou a incentivar a pesquisa autónoma.

No dia 18 houve greve do metro, provocando um trânsito caótico em Lisboa e um atraso significativo. Chegados ao Sítio da Nazaré, houve a necessidade de adequar o programa, convidando todos os participantes a almoçarem ali, uma vez que não haveria tempo para o programado piquenique.

Dali seguimos para Coimbra para visitar a Universidade. A visita teve início no Pátio do Paço das Escolas e terminou no Colégio de Jesus, onde está instalado parte do Museu da Ciência da universidade, com o acompanhamento das guias Cristina e Susana.

Posteriormente, na sala de aula procedeu-se à avaliação oral e escrita da atividade, apresentando e comentando algumas fotos tiradas nesse dia. Desse exercício, referiram como negativo o trânsito em Lisboa e as suas implicações no tempo das visitas. Como positivo, manifestaram satisfação e reconhecimento por conhecerem outros locais e outras pessoas, e o interesse em participar em novas atividades.

Sendo um grupo constituído na sua maioria por alunos de iniciação, alojados em diferentes locais, este passeio foi também muito positivo pela interação entre participantes e conhecimentos sociolinguísticos que proporcionou. Tudo isto numa atmosfera descontraída, propícia à tranquilidade e bem-estar de que, em geral, tanto carecem.

 

DIVERSOS PROJECTOS DO CPR SÃO FINANCIADOS PELO FUNDO ASILO, MIGRAÇÃO E INTEGRAÇÃO (FAMI)

 

De acordo com as últimas estatísticas, o número de migrantes forçados em todo o mundo ultrapassa os 65 milhões e não pára de aumentar. O número de pessoas que buscam protecão no nosso país é de cerca de 870 por ano ou 87 pessoas por cada milhão de habitantes, um número bastante inferior à média europeia (2600 pedidos por milhão de habitantes na UE-28, em 2015). Há mais de um quarto de século que o CPR, sempre em colaboração com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), procura minimizar as consequências das deslocações forçadas, em particular das pessoas acolhidas em Portugal.